26 de janeiro de 2020, Boa tarde!
Buscar
                     

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Indução da Ovulação

A indução da ovulação é parte fundamental das tecnologias que envolvem a reprodução assistida.

A indução da ovulação, também conhecida como "estimulação ovariana" é o estímulo dos ovários para que eles façam crescer mais folículos durante o tratamento.

Normalmente, por ciclo menstrual, um único folículo ovariano cresce estimulado por hormônios (FSH e LH) produzidos pela glândula hipófise. Como são necessários mais folículos crescidos, estimulamos o crescimento de mais, utilizando as gonadotrofinas, que são praticamente idênticas aos hormônios naturais produzidos pela hipófise.

Existem alguns tipos de protocolo de indução de ovulação.

Desde 2010 O CIM acompanhando o desenvolvimento dos grandes centros europeus e em parceria com a Universidade de Valencia – Espanha e como CECOLFES – Colômbia vem desenvolvendo e aperfeiçoando e utilizando um protocolo de estimulação denominado protocolo de estimulação MILD que tem o intuito de deixar o tratamento mais próximo do natural, utilizando baixas doses de gonadotrofinas, obtendo a taxa de sucesso semelhante ao protocolo “convencional” e com menores efeitos colaterais nas pacientes.

A estimulação ovariana MILD pode ser definida como o método onde há administração de FSH e HMG em baixas doses e/ou por poucos dias. Estudos têm mostrado que o uso da estimulação MILD pode reduzir a necessidade de vistas freqüentes a clinica e que os custos da medicação por ciclos são significativamente menores.

Um dos objetivos de utilizar esse protocolo é desenvolver um protocolo mais seguro no quais os riscos do tratamento são minimizados.

Durante a indução da ovulação a dose deve ser ajustada e o controle do estímulo e dose são dependentes da resposta do ovário aos medicamentos. Em todos os casos o médico indica a dose e o controle adequados para cada ciclo.

Independente do protocolo utilizado é fundamental o controle ultrassonográfico e hormonal que se produz no ovário. Isto permite ao médico determinar o grau da resposta ao tratamento. Quando os folículos atingirem o diâmetro médio de 17-20 mm, outra medicação, em dose única, é administrada para induzir o amadurecimento final dos óvulos. Essa medicação o hCG  é um hormônio com uma função similar ao LH, que é o hormônio que a mulher segrega normalmente antes da rotura folicular, portanto,  sua utilização é segura.

Cerca de 34 a 36 horas após o uso desta medicação, está na hora da coleta dos óvulos.