26 de janeiro de 2020, Boa tarde!
Buscar
                     

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

TRATAMENTOS COMPLEMENTARES


Genética

 

As alterações genéticas são uma das principais causas da infertilidade e são responsáveis pela maioria dos aborto e má-formação fetal ao nascimento.

Por isso, o Centro de Infertilidade e Medicina Fetal do Norte Fluminense dispôs para os pacientes a Unidade Genética para o diagnóstico em casos selecionados.

DIAGNÓSTICO PRÉ-NATAL

Oferecido para gestantes com o risco para cromossomopatia calculado superior a 11270 ou em conceptos com má-formação suspeitada pela ultrassonografia.

O risco calculado é realizado durante o pré-natal através da ultrassonografia na 13ª semana e pela dosagem no sangue de hormônios no sangue materno, a alfa-fetoproteína e o Beta HCG, na 15ª - 18ª semana do gestação. Estes resultados são encaminhados para a clinica para o exame de cálculo do risco individualizado ser realizado.

A coleta de amostra do material letal é feita, caso o risco para a alteração genética soja superior a 11270 ou em conceptos que tenham má-formação anatômica suspeita pela ultrassonografia. A coleta da amostra é feita por amniocentese, biopsia de vilosidade corial ou cordocentese.

DIAGNÓSTICO CLÍNICO GENÉTICO

  • Cariótipo por Bandas
  • PCR de amplitude
  • FISH
  • Recombine: Rastreamento genetico do casal em tratamentos para infertilidade ou por abortamentos repetidos. Esse, teste, simples, realizado em amostra da saliva do casal detecta até 180 mutações recessivas.