Publicado em 20 de Fevereiro de 2017

Um marco histórico

Estamos próximos de sermos um polo estadual em reprodução


Há uma década Campos virou mais uma página da medicina e atravessou fronteiras, passando a não ser apenas uma referência estadual ou nacional, mas até internacional em reprodução humana. Era criado o Centro de Infertilidade e Medicina Fetal do Norte Fluminense, o primeiro no Estado do Rio de Janeiro a ser Licenciado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária – ANVISA- , por cumprir as exigências preconizadas pela Comunidade Cientifica, incluindo neste contexto uma equipe multidisciplinar – médicos, embriologistas, psicólogos, enfermeiras - e outros, necessários ao desempenho com resolutividade deste segmento de alta complexidade, que é a reprodução humana assistida.

Foi a audácia desta equipe que introduziu aqui o sistema de reprodução através da técnica do INVO que nos levou a essa condição. Era uma técnica nova a questionada. Foi em Campos,  exatamente neste Centro que veio ao mundo a primeira brasileira nascida através deste diferenciado processo de concepção.

O nascimento teve repercussão internacional, sendo manchetes nos principais jornais do mundo e também nas revistas e sites especializados em literatura médica. Quebramos paradigmas, com a Anvisa após uma minuciosa fiscalização aprovando não só o nosso procedimento, mas sua adoção em todo país, sendo importante lembrar que o Invo foi adotado anos depois no programa de saúde pública dos Estados Unidos.

Atender casais com problemas de infertilidade que não podem arcar com o custo de um tratamento particular, deixou de ser algo supérfluo, para ser uma necessidade humana, o que justifica a participação do Sistema Único de Saúde ´SUS- neste processo.

Estamos próximos de sermos um polo estadual neste serviço, em reconhecimento ao nosso pioneirismo. Com o grau máximo de certificação nesta área, o Centro tem orgulho do seu trabalho e certamente nosso município também.

A interrupção de um serviço como esse, é desconsiderar um passado muito recente que já entrou para a história, e certamente a sensibilidade humana vai decidir acertadamente por sua manutenção.

 

A fonte é Um marco histórico – Terceira Via