Publicado em 24 de Outubro de 2017

Outubro Rosa: Câncer x Fertilidade

Preservação da Fertilidade


Preservação da Fertilidade

A proporção de pessoas com o diagnóstico de câncer aumenta substancialmente em função dos avanços no diagnóstico do câncer, cada vez mais eficazes, o que colabora também com o aumento do sucesso dos tratamentos (80-90%). A eficácia dos tratamentos de câncer aumenta a cada dia e garante um maior percentual de sobreviventes no mundo. Os Estados Unidos estimam que até 2022 a quantidade de sobreviventes de câncer vai atingir 18 milhões! Uma grande parcela dessas pessoas estará em idade reprodutiva no momento do tratamento e podem ter o seu projeto familiar comprometido em função das seqüelas dos tratamentos contra o câncer. Essas pessoas devem conversar com os seu médicos antes do início dos tratamento para que possam ter a oportunidade de continuar com o seu plano de vida. 

 

Os tratamentos para o câncer podem causar infertilidade?

A radiação e a quimioterapia são os tratamentos mais comuns para o câncer. Eles destroem não somente as células tumorais mais também as células saudáveis. Assim, esses tratamentos destroem os óvulos e espermatozoides nas suas formas ainda muito jovens. O dano a essas células justifica a importância de preservar a fertilidade antes de iniciar o tratamento.

A preservação de óvulos, espermatozoides, embriões, tecido ovariano ou testicular antes de iniciar o tratamento, é a melhor decisão para preservar sua fertilidade, quer podem ser congelados por muitos anos e serem usados quando você estiver pronto para a paternidade.

 

Por que o encaminhamento precoce a um especialista em fertilidade é importante?

Em um estudo  relacionando o diagnóstico do câncer de mama e ao tempo de Preservação da Fertilidade (PF) mostrou que os pacientes que foram encaminhados antes (e não depois), da cirurgia, eram mais propensos a ter:

  • 9/35 mulheres com PF consultaram antes da cirurgia versus 2/58 para  PF consultaram após a cirurgia. 
  • Um início precoce do ciclo de estimulação ovariana controlada
  • Um início mais precoce da quimioterapia  - 24 dias antes (p = 0,045).
  • A opção por um segundo ciclo de estimulação, as mulheres poderiam congelar mais embriões ou ovócitos.

 

E quando o tratamento de câncer precisar ser começado imediatamente?

Mesmo nos casos de tratamentos de câncer que precisam ser iniciados imediatamente (por exemplo, nos casos de leucemia), os pacientes podem se beneficiar de um encaminhamento para um especialista em fertilidade.

Eles podem optar por tratamentos tais como os agonistas do GnRH durante a sua quimioterapia.

Em geral, os pacientes fazem questão de obter informações. Mesmo se os óvulos ou embriões armazenados não forem viáveis antes de começar os tratamentos para o câncer, os pacientes podem  obter informações completas com um especialista sobre os riscos para a fertilidade futura, e as opções para o futuro.

Muitas vezes os pacientes com câncer como a leucemia não recebem tratamentos que inicialmente sao danosos aos espermatozóides e óvulos. No entanto, se eles tiverem uma recaída, podem precisar de um transplante de medula óssea no futuro, e isso exigiria tratamentos de alto risco para os espermatozóides e óvulos. Nestes casos, a comunicação rápida com um especialista pode permitir opções apropriadas de tratamento para preservação da fertilidade.

Aonde procurar especialistas para preservar a fertilidade?

Para quem vai começar o seu tratamento contra o câncer e pensa na paternidade depois de terminar, o Centro de Infertilidade e Medicina Fetal -NF, o Centro Avançado de Endometriose e Cirurgia Minimamente Invasia - MG e o Hospital Escola Álvaro Alvim disponibilizam o seu Banco de Tecidos e Células Germinativas, devidamente certificado pela Vigilância Sanitária e todas a técnicas para preservar a fertilidade futura como : congelamento de óvulos, sêmen, embriões e de tecido ovariano ou testicular. 

 

 Gravidez após o câncer.

Relatórios sobre as gravidezes após tratamentos de câncer são bastante limitados. Isso provavelmente ocorre devido a proporção de mulheres em idade reprodutiva com câncer ser  relativamente baixa. Geralmente, os sobreviventes não tentam uma gravidez, devido a problemas de fertilidade (amenorréia) e / ou o medo de recorrência da doença

 

Segurança da gravidez: risco de recorrência?

Os dados disponíveis, relatados em estudos não indicam um aumento do risco de recorrência da doença em mulheres que engravidam após o câncer. 

Isto é válido mesmo em mulheres com câncer sensíveis aos hormônios, como o câncer de mama.

Vários estudos têm demonstrado que a sobrevida global é  melhor  para as sobreviventes do câncer de mama que posteriormente conceberam, possivelmente devido ao efeito  "mãe saudável".

 

OBS:

Crianças e adolescentes em tratamento de câncer podem desenvolver insuficiência ovariana prematura (menopausa precoce em meninas) ou insuficiência testicular em crianças. Para eles, alem da proteção do órgão nos casos de radiação,  o congelamento do tecido ovariano ou testicular é uma alternativa eficaz. 

É importante saber que os filhos de sobreviventes do câncer não têm necessariamente risco elevado para defeitos congênitos ou câncer, como seus pais, a não ser que o câncer tenha sido causado por uma mutação genética. Além disso, se este for o caso, é possível diagnosticar geneticamente embriões antes de serem transferidos para conseguir um bebe saudável livre da mutação genética diagnosticada nos pais.