Publicado em 03 de Outubro de 2018

TRANSFERÊNCIA EMBRIONÁRIA

A transferência embrionária é a etapa final do processo de fertilização in vitro (FIV) e a etapa principa


A transferência embrionária é a etapa final do processo de fertilização in vitro (FIV) e a etapa principal! A que vai realmente dar a chance de engravidar!

Se tudo correu bem,  12 a 15 dias depois, um teste de gravidez vai confirmar se, por fim, você conseguiu a gravidez.

A determinação do dia da transferência depende da evolução de todo o processo de FIV. Esse momento é determinado pelo seu médico e o embriologista que analisarão as vantagens de transferir no dia 2,3 ou 5 após a aspiração dos óvulos.

Atualmente, a evidência científica mostra que a tendência e transferir somente 1 (um) blastocisto para evitar a terrível complicação da gravidez múltipla. Esta fase de desenvolvimento embrionário corresponde ao dia 5 e a probabilidade de implantação é maior.

 

 

O QUE É A TRANSFERÊNCIA DE EMBRIÕES?

 

É o deposito de embriões fecundados no laboratório no seu útero.

Antes desse processo, o seu médico terá que tomar algumas decisões:

 

  1. Quantos embriões serão transferidos?

 

A legislação brasileira determina o número máximo de embriões transferidos de acordo com a idade. Se você tem:

 

  • até 35 anos - máximo de 2 embriões,
  • de 36-40 anos - máximo de 3 embriões,
  • acima de 40 anos - máximo de 4 embriões.

 

Vale ressaltar que, a pratica médica atual e a evidência científica mostra que o ideal é 1 blastocisto quando possível e que o número de embriões não aumentará a sua chance de sucesso como se acreditava antigamente. Só aumenta o risco de gestação múltipla.

 

  1. Qual o melhor dia para transferência?

 

É possível transferir os seus embriões em qualquer dia, a partir do DIA 1, dia em que se comprova que houve a fertilização dos seus óvulos, e o período se extende até o DIA 6 ou 7.

Entretanto, no geral as transferências ocorrem nos DIAS 2-3 ou 5-6, porque nesses momentos o embriologista pode analizar com mais facilidade a qualidade dos seus embriões.

A controvérsia sobre isso é grande, pois, vários estudos apontam para o DIA 3 como o de melhor resultado e outros para o DIA 5.

Seguindo a tendência mundial nós do Centro de Infertilidade damos preferência para a transferência personalizada, ou seja, a determinação do dia da transferência e feita em função da situação de cada paciente.

 

 

 

 

 

TRANSFERÊNCIA EMBRIONÁRIA NO DIA 3.

 

Naturalmente a fecundação ocorre na trompa e o embrião chega ao útero no DIA 5-6 após a fertilização e se implanta no endométrio.

Na reprodução assistida, todo o processo ocorre naturalmente como na trompa entretanto, em um ambiente artificial que imita as condições da sua trompa que é o laboratório. Por essa razão sempre se tenta reduzir o número de dias de cultivo embrionário no laboratório.

 

QUAIS AS VANTAGENS DA TRANSFERÊNCIA EMBRIONÁRIA NO DIA 3?

 

A principal vantagem da transferência no DIA 3 é que há uma disponibilidade maior de embriões. A medida que os dias de cultivo seguem no laboratório alguns dos seus embriões interromperão seu desenvolvimento e não serão mais viáveis.

Esta é uma das razões para alguns embriologistas preferirem a transferência no DIA 3, quando o embrião tem de 6 a 8 células.

Assim, o risco de cancelamento da transferência é menor no DIA 3 ao contrário de prolongar o cultivo dos seus embriões até o DIA 5-6.

Outra vantagem é que pode haver um número maior de embriões para congelamento e que podem ser utilizados em futuras transferências embrionárias.

 

 

QUAIS AS DESVANTAGENS DA TRANSFERÊNCIA EMBRIONÁRIA NO DIA 3?

 

Os parâmetros morfológicos que o embriologista utiliza para avaliar a qualidade dos seus embriões no dia 3 não são suficientes para predizer uma maior qualidade de implantação.

A princípio, apesar de ser eleito o embrião com as melhores características naquele momento, nada pode garantir que aquele embrião eleito naquele momento manterá a sua qualidade até o DIA 5. Ele pode tornar-se inviável no seu útero em um momento após a transferência. O momento em que o embrião passa da fase de células (DIA 3) ao blastocisto (DIA 5) é muito delicado e pode comprometer a viabilidade do seu embrião.  Assim, de fato, a transferência no DIA 3 proporciona um melhor ambiente para o embrião que é o seu útero, entretanto, o embriologista perde a possibilidade de acompanhar o desenvolvimento e a qualidade dos seus embriões.

Em função dessa impossibilidade de acompanhamento do embriologista, a transferência de um único embrião pode levar ao risco de que seu embrião não alcance o desenvolvimento correto dentro do seu útero, assim, é habitual a transferência de mais de um embrião de acordo com a sua idade.  Óbvio que isso se presume uma possibilidade de gestação múltipla maior, o que é uma complicação indesejada e de complicações graves para os bebês.

 

TRANSFERÊNCIA DE BLASTOCISTO NO DIA 5.

 

É o chamado cultivo sequencial, que consiste em manter os seus embriões até o DIA 5 no laboratório, momento em que se transformam em blastocistos. É um pouco mais complicado, porque as necessidades metabólicas dos seus embriões vão se tornando mais exigentes dia após dia e necessitam de boa condição do laboratório que você escolheu para a sua FIV.

 

 

 

 

QUAIS AS VANTAGENS DA TRANSFERÊNCIA EMBRIONÁRIA NO DIA 5?

 

Caso voce tenha um número elevado de embriões após a fertilização, mantê-los em cultivo sequencial é uma boa opção!

Isso permite que a seleção natural atue eliminando os seus embriões de pior qualidade deixando os de maior capacidade de implantação. A maioria dos embriões com problemas de cromossomos como a Sindrome de Down, frequentemente tem seu desenvolvimento interrompido pela seleção natural, fato que pode ser acompanhado pelo embriologista, geralmente essa seleção é mais atuante entre os DIAS 3-5 após a fertilização.

Por outro lado, a seleção morfológica realizada pelo embriologista é mais rigorosa do que a realizada no DIA 3, pois as características dos seus blastocistos tem uma correlação mais direta com o potencial deles se implantarem no seu útero.

Também, a transferência de blastocisto permite uma melhor sintonia entre os seus embriões e o seu endométrio, já que os embriões nunca se implantam antes do DIA 5.

Por último, poder transferir o seus embriões no DIA 5, pelo fato de poder ser selecionado os embriões de melhor qualidade, permite transferir somente 1 (um) embrião sem reduzir as suas chances e evitar a temida gestação múltipla. É a Chamada SET (TRANSFERÊNCIA DE EMBRIÃO ÚNICO).

 

 

QUAIS AS DESVANTAGENS DA TRANSFERÊNCIA EMBRIONÁRIA NO DIA 5?

 

 

Apesar de todas as vantagens, existe o risco dos seus embriões, mesmo geneticamente normais não alcançarem o estágio de blastocistos, devido às condições de cultivo no laboratório que você elegeu.

Em condições naturais, o seu embrião entra em contato com o seu útero já no DIA 4 e entra em contato com as suas células do endométrio que forram o seu útero um dia depois. Essas células fornecem nutrição para a sequência do desenvolvimento do seu embrião. Assim, é importantíssimo que o laboratório que você escolheu para sua FIV tenha o controle e seja certificado (Controle da ANVISA) para estabelecer condições ótimas para manuseio dos meios de cultivo, ótimas condições de temperatura, ar, umidade para favorecer e interferir o mínimo possível no desenvolvimento dos seus embriões.

O principal inconveniente do cultivo sequencial e o risco de cancelamento da sua transferência.

No Centro de Infertilidade a taxa de desenvolvimento a blastocisto é de 92%.

 

PERSONALIZAÇAO DO TRATAMENTO DE FIV.

 

Independente do médico que lhe atenda e de sua preferência, esta na ordem do dia entre os embriologistas e especialistas em Reprodução Assistida que os tratamentos devem ser individualizados.

No Centro de Infertilidade essa prática é adotada desde 2010 quando foi introduzido o dispositivo INVOCell no Brasil e a estimulação medicamentosa ovariana personalizada é mínima.

É importante eleger o momento do desenvolvimento embrionário mais adequado para a transferência dos seus embriões de acordo com a causa da sua infertilidade e com a situação do laboratório.

 

 

Alguns aspectos importantes são:

  • Número de embriões obtidos,
  • Qualidade dos seus embriões,
  • Características dos ciclos anteriores de FIV, caso você os tenha,
  • Uso de técnicas complementares: Diagnóstico Genético Pré-implantacional (PGT-A, PGD), Ovodoação, Teste ERA
  • Condições do laboratório

 

Nos casos de de PGD ou PGT-A, a biópsia do embrião pode ser feita no DIA 3,pois as análises genéticas tardam 24-48 horas para se obter o resultado e a transferência dos embriões sem alteração genética acontece no DIA 5-6. Também, por vezes a biópsia dos seus embriões, pode ser realizada na fase de blastocisto no DIA 5 e o seu embrião ser congelado e transferido em um ciclo posterior já com o resultado nas mãos.

Aqui também as possibilidade devem ser personalizadas e estudadas com o seu médico e o embriologista.

Nos casos de ovodoação a tendência é o cultivo sequencial com a transferência no DIA 5, porque frequentemente o número de embriões é maior e com qualidade melhor. As taxas de gravidez nas transferências únicas são maiores.

Por ultimo, tem o problema do seu endométrio e  a sua receptividade. Existe um teste, TESTE ERA, para determinar o momento de melhor receptividade do seu endometrio (janela de implantação) que personaliza a transferência dos seus embriões tornando mais provável a sintonia dos seus embriões e o seu útero.

 

O Centro de Infertilidade foi uma das clínicas no Brasil que participou do estudo científico do ERA.

 

 

 

 

PERGUNTAS FREQUENTES

 

  1. EU TIVE ABORTOS, COMO DEVE SER A MINHA TRANSFERÊNCIA?

 

Abortos não tem relação com o dia da transferência, geralmente estão relacionados com erros nos cromossomos dos embriões. Então, caso seja de repetição, excluídas as outras causas, é indicado uma FIV com diagnóstico pre-implantacional (PGT-A), que consiste na análise dos cromossomos do embrião antes de transferi-los para o útero, assim somente os embriões cromossomicamente normais são transferidos.

 

  1. POSSO TRANSFERIR MEUS EMBRIÕES NO DIA 3 FAZENDO O PGT-A?

 

Atualmente 90% da biópsias embrionárias ocorrem no DIA 5, o que impossibilita a transferência no DIA 3. Mas nos casos onde a biópsia ocorre no DIA 3 o seus embriões pode ser congelados e transferidos em um ciclo posterior. No caso de biópsia no DIA 3 mas sem congelamento, pelo tempo do resultado a transferência dos embriões cromossomicamente normais irá acontecer no DIA 5.

 

 

 

  1. POSSO FAZER TRANSFERÊNCIA NO DIA 6?

 

Nos casos de cultivo sequencial a transferência geralmente acontece no DIA 5. Entretanto, existem situações em que o embrião tem o desenvolvimento lento e pode ser necessário prorrogar o cultivo até o DIA 6 para ser melhor avaliado pelo embriologista.

 

  1. É RECOMENDADO A TRANSFERÊNCIA DE DOIS EMBRIÕES NO DIA 3?

 

O melhor dia para a transferência depende de cada paciente e de cada caso. Entretanto se o médico elege a transferencia no DIA 3 com 2 embriões ao invés de 1 pode oferecer vantagens pois reduz a possibilidade da ausência de embriões no momento da implantação.

 

  1. É NECESSÁRIO FAZER REPOUSO APÓS A TRANSFERÊNCIA?

 

Não ha nenhuma relação direta do repouso com o sucesso em FIV. Entretanto, no momento da transferência é recomendado um repouso ligeiro de 15 minutos, pois a transferência pode causar algum desconforto como as cólicas em algumas pacientes. Entretanto, em pacientes que ja tem uma opinião formada e relutam após a explicação e preferível recomendá-la por questões meramente psicológicas e de segurança do casal.